Benefícios da Musculação para Mulheres 

Quando praticada de forma correta e com a orientação adequada, a musculação feminina pode trazer muitos benefícios. Ela ajuda a emagrecer e queimar as gordurinhas, em um treino leve de musculação é possível eliminar cerca de 300 calorias. A prática dos exercícios ainda tonifica a musculatura, combate a flacidez, ajuda o corpo a ganhar formas mais definidas e melhora a postura. Com a prática da musculação, ocorre o aumento da massa magra e o aumento da capacidade do corpo de queimar a gordura corporal.

A musculação também ajuda a diminuir o colesterol e a melhorar o fluxo sanguíneo e é uma grande aliada no combate à osteoporose. A prática dos exercícios faz com que os ossos absorvam melhor o cálcio e se tornam mais resistentes.

Outro benefício é ter um melhor controle e convívio com a TPM. Diversas pesquisas relatam o sofrimento das mulheres com os sintomas desse mal. Alguns trabalhos mostram que a musculação estimula a produção de hormônios anabólicos e ou substâncias opiáceas tais como a beta endorfina tendo como resposta mais evidente um melhor convívio com o humor.

Atividade físicas são sempre indicadas para manter uma vida saudável. Quando realizadas de maneira prazerosa, visando, além do estético, a busca de uma melhor qualidade de vida, os resultados costumam ser ótimos. Assim, são fundamentais que os exercícios sejam praticados regularmente e acompanhados por um profissional da área de educação física.

E então? O que estão esperando? Pratiquem atividades físicas; sua SAÚDE agradece!

#fortunapersonaltrainers
#beneficiosdamusculaçaofeminina

Foto: Benefícios da Musculação para Mulheres </p> <p>Quando praticada de forma correta e com a orientação adequada, a musculação feminina pode trazer muitos benefícios. Ela ajuda a emagrecer e queimar as gordurinhas, em um treino leve de musculação é possível eliminar cerca de 300 calorias. A prática dos exercícios ainda tonifica a musculatura, combate a flacidez, ajuda o corpo a ganhar formas mais definidas e melhora a postura. </p> <p>Com a prática da musculação, ocorre o aumento da massa magra e o aumento da capacidade do corpo de queimar a gordura corporal. </p> <p>A musculação também ajuda a diminuir o colesterol e a melhorar o fluxo sanguíneo e é uma grande aliada no combate à osteoporose. A prática dos exercícios faz com que os ossos absorvam melhor o cálcio e se tornam mais resistentes. </p> <p>Outro benefício é ter um melhor controle e convívio com a TPM. Diversas pesquisas relatam o sofrimento das mulheres com os sintomas desse mal. Alguns trabalhos mostram que a musculação estimula a produção de hormônios anabólicos e ou substâncias opiáceas tais como a beta endorfina tendo como resposta mais evidente um melhor convívio com o humor. </p> <p>Atividade físicas são sempre indicadas para manter uma vida saudável. Quando realizadas de maneira prazerosa, visando, além do estético, a busca de uma melhor qualidade de vida, os resultados costumam ser ótimos. Assim, são fundamentais que os exercícios sejam praticados regularmente e acompanhados por um profissional da área de educação física.</p> <p>E então? O que estão esperando? Pratiquem atividades físicas; sua SAÚDE agradece!</p> <p>#fortunapersonaltrainers<br /> #beneficiosdamusculaçaofeminina

Leg Press – Excelente exercício para glúteos. Isso mesmo. Veja só…

Atenção meninas: Ótimo exercício para Glúteos.

Palavras do Professor Paulo Gentil, grande profissional e autor de livros.

“Falo tanto do agachamento que às vezes parece que ele é a única solução para um bom trabalho de glúteos. Então falarei um pouco do leg press, um exercício equivocadamente classificado como sendo específico para quadríceps. Repare que, durante sua execução, os calcanhares se aproximam do glúteo ao mesmo tempo em que os joelhos se aproximam do tronco, ou seja, para vencer a sobrecarga deve ocorrer extensão dos joelhos e extensão de quadril, com ação do glúteo máximo e dos adutores. Isso mesmo, dos adutores!

E o bom é que esse exercício permite usar grandes amplitudes e sobrecargas, fatores importantes para hipertrofia. De fato, os estudos mostram que o leg press promove hipertrofia não apenas no quadríceps, mas também no glúteo máximo e nos adutores. Portanto, quem o realiza não precisa pagar mico ficando em quatro apoios ou abrindo e fechando as pernas em máquinas esquisitas. Por que ninguém fala isso? Simples, porque o glúteo não fica exposto durante a exercício, ao contrário do quadríceps, aí já sabe… “quem não é visto não é lembrado”. Não é lembrado nem nas “sensações” e nem nas fotos! 

Sei que vão me perguntar: nem as mulheres precisariam dos exercícios para glúteos? A resposta é NÃO! Um estudo da University of Kentucky colocou homens e mulheres para realizarem exercícios de cadeia cinética fechada e verificou que elas naturalmente ativam mais os glúteos que os homens (Dwyer et al., 2010)! Ou seja, não há nenhuma questão biomecânica que possa indicar um trabalho diferenciado para elas! 

PS: por favor, tirem as mãos da coxa/joelho durante o exercício, leg press é uma coisa, supino é outra!”

(Paulo Gentil)

Dwyer MK1, Boudreau SN, Mattacola CG, Uhl TL, Lattermann C. Comparison of lower extremity kinematics and hip muscle activation during rehabilitation tasks between sexes. J Athl Train. 2010 Mar-Apr;45(2):181-90. doi: 10.4085/1062-6050-45.2.181.

O ciclo menstrual e a atividade física

O ciclo menstrual e a atividade física

Olha só isso meninas!!! A melhor forma de passarmos por essa fase e ainda nos valermos dela para treinar melhor!! Adorei! 😉

Fenótipo, genética e resultados. O que pensar sobre isso?

Será que a culpa é sempre da genética? Vamos pensar um pouco (e superficialmente) sobre isso…

O fenótipo é o conjunto de características físicas, morfológicas e fisiológicas de um organismo. O fenótipo resulta da atividade dos genes em conjunto com o meio ambiente. O fenótipo pode ser alterado frequentemente. Por exemplo: uma pessoa possui um genótipo para pele clara, mas se expõe frequentemente ao sol. Quando uma pessoa expõe sua pele ao sol, ela ativa a produção de melanina pela pele, para protegê-la dos raios solares, e dessa forma, sua pele fica mais escura, pigmentada. O genótipo dessa pessoa será sempre o mesmo: pele clara. O que vai alterar é apenas seu fenótipo, o que é visível e perceptível.
Cor da pele é apenas um exemplo, frente a um fenótipo inteiro. Pessoas magras podem fazer exercícios físicos e adquirir mais massa muscular, assim como pessoas com o gene da obesidade podem não ser gordas e ao fazer exercícios adquirir músculos. Pessoas com cabelos loiros podem escurecê-los com tintas, e vice-versa.
As características fenotípicas alteradas de uma pessoa não são passadas aos seus descendentes, pois a eles são passadas apenas as características genotípicas. Um casal de halterofilistas não terá automaticamente um filho musculoso. Seu filho poderá ter predisposição a ter muita massa muscular se isso já for uma característica genotípica de um dos pais, e se ele herdar essa característica. Ou seja, não culpe a genética sempre, muito mais importante é sua vontade de ser e fazer as coisas. Pense nisso!!!

Imagem
Fonte: Revista Infoescola, Fabiana Santos Gonçalves.

Que tal um pouco de atividade física na sua vida?

Imagem

Realizamos:
♦ Treinamento Personalizado;
♦ Treinamento em Grupos;
♦ Prescrição de Treino a Distância;
♦ Avaliação Física;
♦ Preparação Para Concurso (TAF);
♦ Condicionamento Físico;
♦ e muito mais. 
Maiores informações entre em contato conosco. Sua saúde agradece!
Curta nossa página no face: Fortuna Personal Trainers
Entre em nosso grupo: Fortuna Personal Trainers

Quinoa, por que come-la?

Por que comer Quinoa?!
Cada 100 g de quinoa contêm 15 g de proteínas || 68 g de carboidratos, 9,5 mg de ferro, 286 mg de fósforo, 112 mg de cálcio, 5 g de fibras e 335 kcal. Segundo a ONU para Agricultura e Alimentação, a quinoa é um dos alimentos mais completos que existem.
A quinoa não contém glúten.
É um alimento bastante nutritivo!!!

(Fonte: http://pt.m.wikipedia.org/wiki/Quinoa)

Vamo malhar meu povo?!?!?!

A pratica da atividade física regular faz bem para o corpo e para a mente, trazendo inúmeros benefícios para nossa saúde. E então, o que você está esperando para começar?
Viva mais e com saúde.

Curta nossa page e fique por dentro das novidades:
http://www.facebook.com/fortunapersonaltrainers

Alimentos com calorias negativas. Você os conhece?

Conheça 30 alimentos com calorias negativas

Você sabia que além de nutritivos, alguns legumes, verduras e frutas são aliados da balança e têm calorias negativas? Isso porque, eles possuem menos energia do que gastam durante a digestão.

Resumindo, você come um legume e o gasto calórico para a digestão dele é maior do que as calorias do próprio alimento, entendeu?

Vale lembrar que o gasto calórico durante esse processo varia de uma pessoa para outra, dependendo do tipo de metabolismo de cada um.

Confira 30 opções de alimentos que não oferecem preocupação com a tabela calórica e conheça seus benefícios:

Abacaxi: rico em cálcio, potássio e vitaminas A, B e C, o abacaxi contém bromelaína, uma enzima que ajuda na digestão e pode dissolver coágulos no sangue. Por isso, além de auxiliar na dieta, a fruta ajuda a controlar a pressão arterial.

Abobrinha: composta de água (cerca de 90%), a abobrinha é diurética e rica em vitaminas A e C.

Agrião: rico em ferro, iodo, vitamina C e betacaroteno – um antioxidante que retarda o envelhecimento -, o agrião auxilia no sistema respiratório.

Alface: alimento ingerido como carro chefe nas dietas de emagrecimento, o alface é rico em potássio, cálcio, ferro e vitaminas A, B3 e C. Tem poder antioxidante e age como calmante para quem sofre de insônia.

Alho: alimento que ajuda a combater vírus, infecções e inflamações, além de auxiliar em problemas respiratórios, como asma e bronquite. É fonte de potássio, cálcio e magnésio.

Ameixa: tem propriedades antioxidantes, retarda o envelhecimento,­ estimula a digestão e combate a gripe. É rica em potássio, magnésio, cálcio, fibras, betacaroteno e vitaminas C e E.

Aspargo: rico em fibras, potássio e vitaminas B e C. Aumenta o sistema imunológico, tem poder antioxidante e anticancerígeno­.

Berinjela: fonte de cálcio, fósforo, postássio, magnésio e vitaminas A, C e do complexo B, a berinjela é um agente redutor de colesterol no sangue.

Beterraba: alimento cheio de nutrientes, como proteínas, fibras, vitaminas A, B e C, ferro, potássio e zinco. Ajuda a combater anemia.

Brócolis: fonte de vitamina A e de sais minerais como cálcio, ferro e fibras. Brócolis tem poder antioxidante e anticancerígeno­.

Cebola: fonte de vitamina C, potássio, cálcio, ferro e fósforo. Ajuda a prevenir gripe e auxilia em problemas estomacais e intestinais.

Cenoura: alimento rico em betacaroteno, fibras, cálcio, zinco e vitaminas A, C e E. Além de auxiliar a digestão, melhora a produção de sangue e, para as grávidas, aumenta a produção de leite.

Couve-flor: alimento rico em cálcio, fósforo, e vitaminas A, B9 e C.

Couve: rico em fibras, o alimento é indicado para enfermidades do estômago e auxilia a digestão. A couve é fonte de vitamina C, ferro, cálcio e betacaroteno.

Damasco: além de saboroso, o damasco pode prevenir problemas no fígado e alguns tipos de câncer. É rico em ferro, potássio, fósforo e vitamina A, B1, B2, B3 e C.

Framboesa: rica em antioxidantes que retardam o envelhecimento,­ esse fruto também auxilia na digestão e no tratamento de inflamações na garganta e gengiva. É fonte de cálcio, potássio, magnésio, ferro e vitaminas A, B1, B5 e C.

Laranja: fonte de vitamina C e caroteno, esse fruto ajuda a combater gripes e resfriados e pode prevenir alguns tipos de câncer.

Limão: tem propriedades para tratar resfriados e gripes e melhorar a circulação do sangue. É rico em cálcio, potássio e vitamina C.

Maçã: esse fruto tem inúmeros benefícios. É rico é cálcio, magnésio, potássio, cobre, zinco, vitaminas B, C e E e contem peticina uma fibra que a ajuda a controlar o nível de colesterol no sangue. A maçã ajuda na digestão, ajuda no tratamento de resfriados, tem poder antioxidante e evita a proliferação de células cancerígenas.

Mamão: contém uma substância chamada papaína, que melhora a digestão e a prisão de ventre. É fonte de ferro, cálcio e vitaminas A, B e C.

Manga: tem propriedades que previnem as doenças do estômago, evitam problemas cardíacos e fortalecem o sistema imunológico. É rica em vitaminas B e C em sais minerais como cálcio, fósforo, potássio, ferro e fibras.

Melancia: fruto que apresenta muita água em sua composição e tem o poder diurético. É rica em fibras, ferro, cálcio e vitamina A, B e C. A melancia também possui uma glutationa, substância que é um potente antioxidante e retarda o envelhecimento.

Melão: tem poder diurético, hidratante, ajuda na menopausa e nas dietas de emagrecimento. É rico em cálcio, betacaroteno, potássio e vitaminas A, B, C.

Mexerica: fonte de vitaminas A, B e C e de sais minerais como cálcio, potássio, sódio, fósforo e ferro. O fruto ajuda a combater infecções e aumenta a resistência do organismo.

Morango: fruto com propriedades antioxidantes, que retarda o envelhecimento,­ além de reduzir o colesterol, combater anemias e doenças da pele. É fonte de ferro, fibras e vitaminas B5 e C.

Pepino: rico em ferro, potássio e betacaroteno – um antioxidante que retarda o envelhecimento -, o pepino tem efeito diurético .

Pimenta: tem propriedades analgésicas, anti-inflamatór­ias, diminui risco de doenças cardiovasculare­s, reduz o colesterol e pode ajudar no tratamento da enxaqueca. É antioxidante e rica em vitamina C.

Pimentão vermelho: rico em potássio, sódio, cálcio, fósforo, ferro e vitaminas A, C e do complexo B. É um alimento antioxidante, que pode prevenir doenças cardíacas, além de ser fonte de fibras.

Rabanete: sem dúvida, o rabanete é um aliado da saúde. Fonte de cálcio, ferro, potássio e vitaminas B1, B2 e C, ele ajuda no processo digestivo, previne o organismo contra infecções e purifica o sangue, rins e bexiga.

Repolho: fonte de cálcio, potássio, fosforo e vitaminas A e C. O repolho auxilia no emagrecimento e na digestão, estimula a queima de gorduras e combate o colesterol.

(Fonte: Terra / Saúde.)

Doping Sanguíneo. Você sabe o que é isso?

O doping sanguíneo pode aumentar a capacidade de um atleta para desempenhar exercícios de endurance de caráter submáximo e máximo. Além disso, o doping sanguíneo pode ajudar a reduzir a sensação fisiológica de esforço durante exercícios em altas temperaturas e provavelmente em grandes altitudes. Por outro lado, o doping sanguíneo está associado com riscos que podem ser importantes e podem prejudicar o desempenho.”
Segundo a definição do Comitê Olímpico Internacional (COI), entende-se por doping sanguíneo a “técnica que consiste na administração de sangue, ou de produtos sanguíneos que contenham hemácias, a um desportista, por razões outras que não um tratamento médico justificado”.
Esta infusão endovenosa de sangue em um indivíduo induz eritrocitemia (aumento de glóbulos vermelhos circulantes no sangue) e o aumento subseqüente da capacidade de transporte de oxigênio do sangue. O processo pode ser autólogo ou homólogo.
O primeiro relato científico de doping sanguíneo é de 1947 e em 1966 foram iniciados estudos para avaliar se aumentaria a capacidade aeróbica. Nos Jogos Olímpicos de 1984 vários ciclistas americanos admitiram ter utilizado esse recurso como auxílio ergogênico.
Fisiologia – O doping sanguíneo beneficia atletas que disputam provas de endurance. A finalidade é a de aumentar a potência aeróbica máxima e o rendimento submáximo durante o exercício, por aumentar a capacidade de transporte de oxigênio até a célula muscular.
Imediatamente após o doping sanguíneo são produzidos ajustes fisiológicos compensatórios que preservam o efeito aeróbico, restaurando o volume sanguíneo ao normal sem modificar o trabalho cardíaco. Além disso, acha-se que esta técnica melhora o desempenho ao atuar na termorregulação, compensando o efeito inibitório do ácido lático.
O procedimento utilizado no doping sanguíneo autólogo é o seguinte: entre 8 e 12 semanas antes da competição são extraídas duas unidades de sangue do atleta, são separadas as hemácias do plasma, congelando-se-as (a –80ºC), o que permite a sua conservação por um período ilimitado de tempo com perda mínima de hemácias. Alternativamente, as hemácias podem ser refrigeradas, mas assim o tempo máximo de armazenamento é de três semanas e nesse período não se restauram os níveis prévios de hemoglobina, razão pela qual esta última técnica foi abandonada. Para a reinfusão, as hemácias congeladas são reconstituídas com solução salina e são transfundidas em uma a duas horas. A reinfusão deve ser realizada entre um e sete dias antes da competição.
Utilização no esporte – Não se dispõe de dados confiáveis sobre a incidência de doping sanguíneo, embora as acusações da sua utilização sejam freqüentes.
Efeito sobre o desempenho – Inicialmente se argumentou que esta técnica não melhorava o desempenho em provas de endurance, embora estudos recentes mostrem claramente o contrário. Existem vários fatores técnicos de grande importância: volume total de hemácias extraídas e reinfundidas, intervalo de tempo entre ambas as manobras e o método utilizado para armazenar o sangue. Na prática, deve-se extrair aproximadamente 900ml de sangue, congelá-lo e reinfundilo em seis a dez semanas. Em provas de endurance, são observadas diferenças estatisticamente significativas nos tempos (melhoras de 15 a 30%), utilizando o atleta como o seu próprio controle. Há fatores que influenciam, como a capacidade aeróbica inicial do indivíduo; que quanto maior for, maior será a resposta positiva. Não se sabe a quantidade total de sangue necessária para produzir o máximo efeito.
O doping sanguíneo foi adicionado à lista de técnicas proibidas do COI em 1985, apesar de não se dispor de nenhuma técnica segura para a sua detecção.
Efeitos adversos – A administração de sangue a um atleta aumenta a viscosidade sanguínea, podendo reduzir o trabalho cardíaco, a velocidade do fluxo sanguíneo e a concentração de oxigênio periférico, com uma menor capacidade aeróbica. Além disso, existe um maior risco de trombose venosa profunda e tromboembolismo pulmonar. Embora ainda não tenha sido determinado o hematócrito (percentagem ocupada pelos glóbulos vermelhos ou hemácias no volume total de sangue) máximo que possa ser considerado seguro, a maioria dos autores concorda que valores superiores a 50% podem aumentar a possibilidade desses efeitos adversos.
As transfusões homólogas são raramente utilizadas atualmente pelo grande risco de sensibilização com repetidas transfusões. Por volta de 3% destas podem se complicar com processos imunes como febre, urticária e mais raramente reações hemolíticas graves e choque anafilático. Também podem ocorrer (em um por cento dos casos) infecções virais, como a hepatite, a infecção por citomegalovírus ou a AIDS. As transfusões autólogas são mais seguras se são realizadas por pessoal treinado com as medidas de assepsia adequadas, devendo ser evitadas desde infecções bacterianas ou flebite até reações fatais por identificação equivocada do sangue.

Concluindo
A utilização de sangue ou substâncias relacionadas, como a eritropoetina (é um hormônio glicoprotéico produzido nos seres humanos e nos animais pelos rins e fígado que tem como função principal regular a eritropoiese (processo de produção de hemácias)), estão criando uma grande polêmica na prática de esportes competitivos. Estamos diante de um problema de grande magnitude no qual as questões éticas são fundamentais, visto que este tipo de doping representa uma técnica realmente ergogênica, ou seja, com possibilidade de melhorar a capacidade aeróbica de um indivíduo, além de poder causar sérios problemas. Por outro lado, o seu controle é difícil, tanto pela sistemática de obtenção da amostra biológica – sangue– quanto pela ausência de uma técnica capaz de identificar com certeza a sua prática. Atualmente não existe nenhum método capaz de confirmar com total segurança se um atleta realizou doping sanguíneo ou não. Por isso, é fundamental difundir entre os desportistas a necessidade de manter um comportamento ético e também fazer com que conheçam todos os possíveis riscos para a saúde conseqüentes à utilização dessas técnicas.

Bibliografia: Revista Brasileira de Medicina do Esporte.

URGENTE – A verdade revelada sobre o LEITE

“Harvard retira laticínios da dieta saudável”

A Harvard School of Public Health enviou uma mensagem forte e directa ao USDA (Departamento da Agricultura dos Estados Unidos) e aos alegados especialistas do mundo inteiro com o lançamento do seu guia Healthy Eating Plate (Dieta Saudável) em resposta ao novo guia de saúde e nutricionismo da USDA que veio substituir a pirâmide dos alimentos.

Os especialistas de nutrição e investigadores de Harvard que o guia alimentar da universidade está baseado numa nutrição sã investigada ao pormenor e mais importante ainda, livre da pressão de lobbies e grupos industriais. A maior evidência disso é a total ausência de lacticínios no seu novo guia para uma dieta saudável devido ao fato de «um consumo alto destes alimentos [lacticínios] aumenta significativamente o cancro da próstata e dos ovários».
Os investigadores da Harvard referiram ainda que os altos níveis de gordura saturada na maioria dos lacticínios e os componentes químicos da sua produção os tornam um alimento a evitar devendo ser substituídos por legumes verdes (nomeadamente couve, repolho, brócolis, etc), soja enriquecida e grãos de várias espécies para se obter o cálcio necessário e de qualidade.

Recentemente tivemos um polêmico artigo sobre a necessidade de evitar o leite que movimentou a opinião pública dividindo-a entre puristas de ambos os lados e leitores que pretendem receber informação que lhes é negada. Esta intervenção importante de Harvard vem confirmar o artigo e trazer a opinião iluminada de uma das mais respeitadas universidades investigadoras do mundo.

Os nossos parabéns pela coragem de Harvard em provar que se deve aumentar o consumo de vegetais e frutas em detrimento de alimentos manipulados pelas grandes corporações que nos querem fazer acreditar que são essenciais à vida. Não se trata de propaganda vegan até porque o mesmo estudo guia de nutrição salientam a necessidade de ingestão de proteínas da carne branca e de peixe, feijão e nozes.
Trata-se de vencer a pressão dos lobbies das grandes empresas que controlam há demasiados anos o destino da saúde american e mundial através de instituições alegadamente isentas como a USDA, mostrando-lhes o que de facto é a saúde.

Fonte: Harvard (links no texto)

%d blogueiros gostam disto: